Alta Floresta, 21 de Marco de 2019
9.8424-4540
Postada em 04 de Fevereiro de 2019 às 08h34min
Empresários reclamam de multas fiscais e preveem queda da arrecadação de MT
.
Folha Max

Após solicitação da Fecomércio-MT e representantes dos contadores no estado, onde a classe contábil solicitava expôs os problemas enfrentados na esfera governamental, o deputado estadual Dilmar Dal Bosco (DEM) se encontrou com as autoridades destas entidades para buscar soluções enérgicas em benefício de toda a classe empresarial. O diretor da Fecomércio-MT, Junior Macagnam, dirigiu a reunião e lembrou o deputado das multas acessórias de débitos fiscais aplicadas pelos órgãos do governo. “O valor cobrado das multas acessórias impede que os empresários se regularizem, levando-os à falência ou, até pior, a trabalhar na informalidade”, disse.

Já o presidente do Conselho Regional de Contabilidade de Mato Grosso (CRC-MT), Manoel Lourenço de Amorim, pediu o apoio do parlamentar nesta causa e lembrou do risco causado pelo fechamento de lojas no Estado. “Espero que possamos contar com o apoio do deputado nessa causa, pois, se o empresário fechar o seu negócio, aumenta a crise financeira no estado”.

Para o presidente do Sindicato das Empresas de Serviços Contáveis de Mato Grosso (Sescon-MT), Amauri Menacho, a elevação de impostos, ao contrário do que os governantes pensam, diminui a arrecadação. “É melhor você ter alguém contribuindo com pouco do que não ter ninguém contribuindo com nada”, argumentou.

Sobre o Simples Nacional, o vice-presidente do Sescon-MT, Ironei Marcio Santana, pediu ao deputado a prorrogação do prazo para aderir ao regime aplicável às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte e descontar o valor dos juros e multas das multas acessórias de empresas com débitos até o ano de 2018. Após as explanações, o deputado estadual afirmou que a classe contábil deve ser mais ouvida e respeitada pelo governo estadual. “A administração pública tem que estar mais próxima das federações e instituições organizadas”. Dilmar acrescentou que defende “a manutenção do empreendedor, em especial, do micro e pequeno, que são os geradores de emprego e renda à população”.

| Veja mais
Veja mais